Iluminando o significado do alumínio

Gostou? compartilhe!

A quantidade de metais disponível na natureza é imensa. Assim é possível perceber que as possibilidades de utilização dos mesmos também são exponenciais. No entanto muitas vezes, devido a sua coloração, tem-se a impressão que essa quantidade é menor do que realmente é. Estanho, prata e alumínio são muitas vezes confundidos e menosprezados em suas especificidades. Aqui nos dedicaremos ao alumínio.

Metal precioso

Considerado o metal sólido mais abundante do planeta de baixa densidade, macio e extremamente resistente pode ser conseguido de várias formas principalmente na bauxita. Esse elemento metálico foi utilizado por civilizações como os gregos e romanos antigos e seu nome é uma derivação do termo alumen.

Foi obtido de forma impura como metal por Hans Christian Orsted, químico dinamarquês em idos de 1825. Nessa forma ele apresenta aparência cinza prateada e fosca Posteriormente Friedrich Wohler aperfeiçoou o processo em 1827 criando o metal em sua forma pura

Como o alumínio teve sua produção e difusão em escala industrial a partir do final do século XIX, durante algum tempo foi tido como metal precioso, chegando a ser mais valorizado que o ouro ou quaisquer outros dos metais. Com barateamento dos processos de extração seu preço de mercado caiu vertiginosamente, sendo que, hoje um de seus grandes valores se encontra na possibilidade de reciclagem desde a década de 1960.

 Destaca-se Henri Deville, que em 1859, gerou melhorias no processo de obtenção do alumínio ao substituir o potássio por sódio e o cloreto de simples por duplo. Posteriormente, ainda mais se avançou na extração deste metal a partir de seu mineral. Com o processo Bayer, descoberto ainda no mesmo ano, permitiu-se a obtenção e difusão do alumínio para um grande número de aplicações sequer imaginadas na época.

Mais precioso ainda

Sua alta ductilidade, resistência à corrosão e solidez em temperatura ambiente, e grande resistência às elevadas possibilita encontrar as mais diversas aplicações para o alumínio; de utensílios domésticos, na fiação elétrica, resistências fundida em alumínio, em esquadrias e na composição de espelhos em conjunto com a prata. As ligas de alumínio também são bastante utilizadas na produção de aviões os tornando mais leves.

Por tudo o acima exposto é fundamental entender como o alumínio é um dos metais que mais pode explicar a própria história da utilização da química como forma de produção metálica. Seria possível usá-lo como estudo de caso para o entendimento de sistemas químicos de extração mineral sendo utilizados como foram de ampliação de sistemas já utilizados ao promoverem o barateamento do processo.

Por outro lado, essa ampliação também decretou a percepção de uma lei do mercado econômico onde o aumento da disponibilidade de u produto leva a queda vertiginosa de seu valor de compra e venda.

Preciosa acessibilidade

Se num primeiro momento ele era um metal precioso, hoje ele está tão difundido em nossa realidade, tão presente no cotidiano que dificilmente pode ser notado.

A vantagem disso é que agora suas possibilidades físicas para a indústria podem ser privilegiadas ao invés de suas qualidades meramente ornamentais e estéticas. A resistência fundida em alumínio para a utilização em extrusoras de plásticos, laminadoras, injetoras, equipamentos de laboratório e cabeçotes de extrusão é exemplo de como essa transição do simbólico para o pragmático trouxe um maior progresso e desenvolvimento para a sociedade de modo geral. A produção de nossos utensílios plásticos bem menores que hoje, se o alumínio não fosse disponível a baixos preços.


Publicado em: 14/02/2017

Gostou? compartilhe!