Resistências elétricas industriais mais utilizadas

Gostou? compartilhe!

As resistências elétricas nada mais são do que pequenos dispositivos responsáveis por transformar a energia elétrica em energia térmica. Pode parecer simples demais, mas as resistências elétricas são utilizadas hoje de inúmeras formas em domicílios, empresas e fábricas, desde pequenos aparelhos a grandes máquinas nas linhas de produção de diversos materiais e produtos. E o que faz da resistência elétrica algo tão popular é justamente a simplicidade do seu funcionamento, já que aproveita-se as propriedades naturais de diversos materiais, que oferecem resistência à passagem da corrente elétrica, e acabam por produzir calor. Temos como exemplos mais simples de resistências aquelas que utilizamos no dia a dia, como de fornos elétricos, secadores de cabelo, ferro de passar ou mesmo do chuveiro, talvez a mais popular hoje em funcionamento.

Funcionamento

No funcionamento da resistência elétrica os elétrons que representam o fluxo de energia térmica aplicada percorrem o material condutor, que por sua vez oferece resistência à sua passagem. Esses elétrons se chocam então com os átomos do material em questão, sendo que a oscilação de todos os átomos envolvidos aumenta, gerando o aumento da produção de energia térmica de acordo com a quantidade de corrente enviada, e também da resistividade natural daquele condutor.

 

Para que um condutor possa reunir a quantidade de energia térmica necessária para qualquer operação, as suas propriedades devem ser estudadas e a sua utilização deve ser exata, para que toda a sua área e todo o material possa ser utilizados, gerando o máximo da capacidade daquela quantidade de condutor, evitando desperdícios. Há também muitas vezes a colocação de isolantes e protetores, de modo a evitar que a energia térmica gerada seja de alguma forma dissipada para o ambiente e haja assim um desperdício de recursos. Para que uma resistência elétrica seja eficiente, ela deve conseguir gerar o máximo de energia térmica com a menor quantidade de energia elétrica, já que a eletricidade será o gasto daquela empresa para a produção ou montagem desejada naquele processo. Para garantir que o custo-benefício seja o melhor possível, as empresas adotam resistências feitas de material barato, mas que mesmo assim conseguem um excelente desempenho no tempo de operação.

Principais tipos

Há diversos tipos de resistências elétricas no mercado, mas alguns deles são os preferidos ou simplesmente os mais úteis às indústrias de forma geral. Essas resistências possuem maior capacidade de geração de energia, ou conseguem aplicar a energia gerada ao processo de forma mais eficiente, considerando-se a área ou o funcionamento do dispositivo que receberá essa energia.

Uma das mais utilizadas é a resistência do tipo coleira, que literalmente assemelha-se a uma coleira comum. Ela "abraça" o local que receberá a energia, conseguindo dessa forma uma maior transmissão de energia e uma menor dissipação. É utilizada principalmente em máquinas injetoras ou extrusoras, e também no aquecimento de tambores, tubulações e recipientes.

Outro modelo muito popular é a resistência tubular, um dos tipos mais versáteis e adaptáveis do mercado. Possuem a forma de um tubo de forma ideal, mas esse tubo pode ser de diversos tamanhos, tipos e formas, de acordo com a finalidade da sua utilização. São utilizadas em banhos químicos, degelo, imersão, saunas e radiadores de ar quente, dentre outros.

Uma das mais conhecidas é a resistência do tipo cartucho, que dominou o mercado nos últimos anos, e que foi dividida em dois modelos principais: de alta e baixa carga. Elas são hoje em dia utilizadas em diversos processos, devido ao seu excelente custo-benefício e à simplicidade da sua operação. É utilizada principalmente em moldes de injeção plástica, hot-stamping, equipamentos médicos e laboratoriais, máquinas injetoras e extrusoras e muitos outros processos.

Marmiteiro

Esse é um dispositivo especial, criado com base em resistências elétricas, e que serve para uma finalidade específica: aquecer marmitas. Ele é utilizado hoje em inúmeras empresas do mundo, principalmente porque são baratos e porque possuem uma eficiência excepcional. Além disso, mesmo com material barato, o marmiteiro é altamente durável, visto que a sua operação (baseada no aquecimento em banho-maria) não promove a degradação e necessita de pouquíssima manutenção. A produção desse tipo de resistência específica cresce no mercado todos os anos e os lucros de seus produtores também.


Publicado em: 14/02/2017

Gostou? compartilhe!