Manufatura aditiva em extrusão


O instituto de processamentos de plástico (IKV) da universidade de Aachen (RWTH), na Alemanha, desenvolveu junto com instituições parceiras da área de pesquisa um projeto para fabricação de matrizes de extrusão por manufatura aditiva, usando técnicas de fabricação a partir de pó metálico para produzir o ferramental.


A escolha da técnica permitiu a reprodução de geometrias complexas, sem restrição de profundidade que é característica da usinagem e por vezes obriga á montagem da ferramenta em diversas partes. A manufatura aditiva possibilita a construção em uma única etapa, facilitando a execução de canais, por exemplo.


A rugosidade da superfície das matrizes, que inevitavelmente surge durante o processo de fusão do pó, pode ter tanto consequências negativas quanto positivas: embora precise ser bastante reduzida na saída da matriz, para que os produtos plásticos, nos testes de laboratório. Eles apontaram que a mudança de cor feita em matrizes fabricadas por manufatura aditiva ocorreu de forma 25% mais rápida do que as em similares convencionalmente usinadas.



Fonte: Revista Plástico Industrial - ano 19 – n° 226 – junho 2017 (Itaquá Resistências Elétricas) by; Clécio Araújo

 
https://www.itaquaresistencias.com.br/?gtm_debug=1648039348435